Direto do Forno · Música

soccer mommy + Angel Olsen

Duas das cantoras e compositoras mais talentosas da atualidade estão com discos quase prontos para saírem do forno. Falo da soccer mommy e da Angel Olsen.

Começando pela Angel, preciso reafirmar o quanto gosto de Whole New Mess, disco que ela lançou em 2020. Daqueles álbuns que costumo chamar de “discos de manhã”, falei sobre ele aqui. Sobre seu novo disco, Big Time será lançado mais uma vez pela Jagjaguwar, no dia 2 de junho.

Seu primeiro single é “All The Good Times”, uma balada folk/blues daquelas bem americanas, com uma letra muito bem escrita. Seu videoclipe possui um visual lindo.

Já a soccer mommy prepara o lançamento de Sometimes, Forever para o dia 24 de junho. Seu primeiro single, “Shotgun”, vai além da estética noventista que ouvimos em Color Theory, seu disco de 2020, recheado de guitarras.

Agora parece que a artista busca um lado mais pop, o que não é nem um pouco ruim, pelo contrário. Senti que seu som está mais encorpado e maduro, dando a impressão de que um disco muito bom vem por aí.

Direto do Forno · Música

+2 do Just Mustard

Saiu há alguns meses “I Am You”, o primeiro single do próximo disco do Just Mustard, e escrevi sobre ele com bastante empolgação.

Mais duas canções saíram de lá pra cá. “Still” foi lançada no final de fevereiro e hoje veio “Mirrors”. A empolgação continua a mesma.

Porque ambas mantém aquele pique pós-punk/shoegaze claustrofóbico de antes, ao mesmo tempo que possuem um ar mais sublime em seu instrumental, muito por conta da doce voz de Katie Ball.

Heart Under é o nome do álbum e chegará em 27 de maio desse ano, pela Partisan Records.

Garimpo · Música

Guided By Voices – Peep-Hole (Ao Vivo no Asheville Music Zone, 2001)

“Peep-Hole” é uma das várias pérolas perdidas na discografia do Guided By Voices, presente no clássico Bee Thousand, de 1994. Uma das músicas mais aconchegantes, nostálgicas e gostosas que já ouvi.

Vagando pelo Youtube, encontrei essa rara versão ao vivo dela, com a banda completa, diferente do disco, que é acústica.

Gostaria muito de ver eles tocando a canção original ao vivo, mas já que não tem, essa versão quebra o galho.

Direto do Forno · Música

The Afghan Whigs – I’ll Make You See God (Single) + Despedida ao Mark Lanegan

Foram cinco anos desde o último lançamento do Afghan Whigs. De repente, surge “I’ll Make You See God”, canção enérgica, potente, como a maioria das músicas da banda.

O som tem uma produção mais parecida com os dois últimos discos do grupo (Do To The Beast e In Spades) e a voz de Greg Dulli continua sensual. Nos minutos finais, uma passagem instrumental cresce e a música fica ainda mais poderosa. Gostei, mais uma prova de que Afghan Whigs é zero decepções.

Se um disco novo sairá do forno, ainda não sabemos.

Com uma coincidência lamentável, hoje também marcou o falecimento do Mark Lanegan, grande voz do grunge com o Screaming Trees e o Mad Season, além de participações com o Queens of the Stone Age e vários outros projetos.

Um deles foi com Greg Dulli, intitulado The Gutter Twins, com um disco lançado em 2008. Dulli postou no Instagram uma linda foto dos dois juntos como forma de homenagear o amigo.

Que Mark Lanegan descanse em paz. Uma perda imensa.

Direto do Forno · Música

Come – Dead Molly/Clockface (Single)

O Come é uma banda norte-americana formada em 1990, cujo som é uma barulheira daquelas gostosas de ouvir.

Com apenas quatro discos de estúdio em sua trajetória, foi anunciado recentemente o lançamento de mais um álbum, dessa vez ao vivo, intitulado Peels Sessions, trazendo duas sessões de gravações da banda com o renomado DJ John Peel nos anos de 1992 e 1993. Até o momento, duas faixas desse projeto já estão disponíveis.

“Dead Molly” mal começa e o ouvinte já fica atordoado com o volume da guitarra, suja aos montes e com a voz desleixada de Chris Brokaw totalmente fora de controle. A outra faixa é “Clockface”, em uma versão inédita ao vivo de 1991, poderosa e barulhenta, cheia de ruídos e gritos raivosos, com um andamento que lembra bastante bandas de slowcore, como o Codeine (Chris Brokaw também fez parte dela).

Peel Sessions sai por completo em 25 de fevereiro do próximo ano, pelo selo britânico Fire Records.

Direto do Forno · Música

Guided By Voices – My (Limited) Engagement (Single)

Não é brincadeira. O Guided By Voices já anunciou mais um disco. O segundo só em 2021, o quinto desde o ano passado.

It’s Not Them. It Couldn’t Be Them. It Is Them! sairá pela Rockathon Records, do próprio Robert Pollard, em 22 de outubro. O single “My (Limited) Engagement” está disponível para os ouvintes. Ouça.

É isso. Não tenho mais o que acrescentar.

Garimpo · Língua Presa · Música

“Aí Mata Nois, Hein?”

Assim respondeu meu amigo Leonardo, após eu mandar para ele “Here To Go”, minha música favorita do Idaho.

O Idaho foi fundado em 1992 e continua na ativa até hoje. Inclusive, mandei uma mensagem para Jeff Martin, co-fundador, no Instagram ano passado, parabenizando-o pela longevidade do projeto, mesmo à margem da grande mídia, e como isso era uma inspiração para mim.

Escrevi um pouco sobre a história do Idaho aqui.

Ouça “Here To Go”:

Direto do Forno · Música

Courtney Barnett – Rae Street (Single)

É provável que todos os sites sobre música e cultura pop do planeta já tenham falado sobre o novo single da Courtney Barnett, “Rae Street”. E como ando quase sempre na contramão, mesmo já fora de tempo, também coloco aqui a informação, pois quase tudo que essa mulher inventa é agradável aos ouvidos.

“Rae Street” tem um refrão que gruda na mente: “time is money and money is no man’s friend.” Não poderia concordar mais. Além, claro, do instrumental certinho e a voz preguiçosa e aconchegante de Courtney.

Em novembro sai o próximo disco dela, Things Take Time, Take Time. Há quem diga que ela é “o novo Dylan”, o que eu acho um exagero. Mas é inegável que Courtney é uma das artistas mais criativas dos últimos anos, vide o disco que ela fez com o Kurt Vile. Uma maravilha do indie moderno.

Direto do Forno · Música

O Novo do Dinosaur Jr.: Sweep It Into Space

Desde que voltou à formação original, o Dinosaur Jr. lançou cinco discos, contando com Sweep It Into Space, e de longe, esse é o que mais me empolgou. Mesmo assim, não espere por algo grandioso, pois há décadas a banda mantem a mesma fórmula e não precisa mais mudar.

Poucos guitarristas sabem criar linhas melódicas tão sutis com solos furiosos acompanhando ao mesmo tempo como J Mascis. O single “I Ran Away”, por exemplo, é candidato a entrar no hall das favoritas dos ouvintes, como “Feel The Pain” ou “Freak Scene”, dadas as devidas proporções. “I Met The Stones” e “Garden” também elevam o álbum às alturas, mas ele sofre de um mesmo problema dos anteriores: ele perde o fôlego da metade em diante.

Assim como a galera do Guided By Voices, J Mascis, Lou Barlow e Murph chegaram ao ponto de fazer música por prazer, de lançar discos sem muita pretensão, sem precisar provar mais nada à ninguém. E esse é o estágio que todo artista pretende atingir.

Sweep It Into Space é divertido, bom para passar o tempo, não muito além disso. Ele foi lançado pela Jagjaguwar em 23 de abril.

1. I Ain’t
2. I Met The Stones

3. To Be Waiting
4. I Ran Away
5. Garden
6. Hide Another Round
7. And Me
8. I Expect It Always
9. Take It Back
10. N Say
11. Walking To You
12. You Wonder

Direto do Forno · Música

Helvetia – Rocks on the Ramp (Single)

Poucos dias após eu escrever sobre “New Mess”, o primeiro single de seu próximo disco, Essential Aliens, o Helvetia soltou o videoclipe de mais uma música presente nesse novo trabalho.

Ao contrário da anterior, “Rocks on the Ramp” tem uma levada mais devagar, psicodélica, mas mantem o lado melancólico da banda. Mesmo que a bateria não descanse um só segundo de sua duração, são os efeitos eletrônicos e as linhas de guitarra que levam o ouvinte ao transe.

Essential Aliens sairá por completo pela Joyful Noise Recordings no dia 25 do próximo mês.